“Este empreendedorismo [de base tecnológica] tem um potencial muito grande para criar empregos, valor e está a espalhar o desenvolvimento pelo território, porque estas empresas não têm que estar apenas numa cidade, podem estar espalhadas por todo o território e isso está a acontecer”, afirmou Manuel Caldeira Cabral, em Guimarães, na inauguração do novo centro de ‘Creative Operations’ da Farfetch.

Segundo o governante, o “movimento de empresas tecnológicas que se reconhece no país e tem o enorme potencial de criar pelo país, nomeadamente no interior, polos de desenvolvimento de pequena e media dimensão, e já está a fazê-lo, não é um sonho”.

O titular da pasta da Economia salientou ainda o papel do Governo, na “criação de um ecossistema de apoio” ao empreendedorismo e ao crescimento das ‘start up’ nacionais e estrangeiras.

“O Governo ajudou a criar este ecossistema de apoio, a Web Summit ajudou a reforçar, a promoção externa que estamos a fazer está a ajudar, os incentivos fiscais também, e muitas outras medidas, há todo um conjunto de políticas que tomamos que estão a atrair a atenção para Portugal e a tornar Portugal um país interessante”, disse.

Caldeira Cabral reforçou que Portugal é “interessante” por várias razões: “Aqui encontram talento, pessoas qualificadas, com imaginação, inteligência, uma boa formação, mas também porque é um país que não tem dúvidas sobre ser aberto, é um país aberto ao comércio, ao investimento, a acolher todos os que querem para cá vir viver, o que hoje é algo que outros países têm dúvidas”, enumerou.

A Farfetch, a plataforma digital “líder global para a indústria da moda de luxo”, abriu hoje o seu novo centro de Creative Operations em Guimarães, com cerca de 8 mil metros quadrados, vindo desta forma duplicar a área que ocupava no centro empresarial da cidade (Avepark).