O atendimento ao público ainda é visto como o ponto fraco de muitas empresas. Quantas vezes, como consumidor, você ficou irritado porque não teve o problema resolvido pelo suporte? Pois saiba que já existem tecnologias capazes de melhorar a experiência do cliente e que uma das mais promissoras são os chatbots inteligentes.

Os chatbots modernos estão adotando a inteligência artificial (IA) e o machine learning (ML) para tornar o atendimento aos clientes mais eficiente, por meio da automação, garantindo também aumento na qualidade do serviço e redução de custos para as empresas.

 

Essa transição não apenas está acontecendo neste exato momento, como também deverá ser mais rápida do que muita gente pensa: os chatbots serão responsáveis por uma economia de US$ 8 bilhões por ano até 2022, de acordo com a Juniper Research, impulsionados pela adoção da tecnologia no varejo, setor bancário e em serviços de assistência médica.

É fácil entender o motivo: além de atenderem 24 horas por dia, 7 dias por semana, as máquinas são extremamente rápidas para resolver questões simples, o que poupa tempo dos especialistas humanos, que só precisam tomar conta de assuntos mais complexos — em outras palavras, robôs vão ajudar os humanos no atendimento digital, não substituí-los completamente.

Além disso, os chatbots podem atender ao mesmo tempo em várias plataformas, o que significa que o seu cliente pode utilizar o aplicativo de mensagens que estiver mais familiarizado (sem precisar entrar em “filas” digitais). Isso é ainda mais importante em empresas que atuam em diversos países, já que o mensageiro mais popular no Brasil não é o mesmo dos Estados Unidos.

Por fim, com o avanço da IA, um chatbot pode aprender com as interações que realiza no dia a dia, sem exigir que o consumidor fique pensando em como se comunicar, diferente do que acontecia no passado. As aplicações que contam com processamento de linguagem natural (NLP) permitem que a interação seja feita de igual para igual, como se um humano estivesse conversando com um humano.